ECOFISIOLOGIA DE CULTIVOS ANUAIS PDF

Escenarios productivos, perspectivas. Establecimiento de canopeos. Concepto de Eficiencia de uso de la RFA. Estructura del canopeo.

Author:Kagakree Toramar
Country:Antigua & Barbuda
Language:English (Spanish)
Genre:Health and Food
Published (Last):18 April 2017
Pages:376
PDF File Size:18.55 Mb
ePub File Size:11.63 Mb
ISBN:814-1-96802-440-3
Downloads:77931
Price:Free* [*Free Regsitration Required]
Uploader:Majas



Trigos de inverno so fortemente sensveis vernalizao, todavia, os trigos de primavera, quando sensveis vernalizao, respondem mais rapidamente e necessitam de menor durao de dias de frio para estarem completamente vernalizados FOWLER et al.

Segundo Cunha et al. As seguintes propriedades e caractersticas de solo foram obtidas a partir de perfis de solos considerados ideais para cultivo de cereais de inverno, por Baier e Hernani et al. Lemos et al. No entanto, o uso de altas doses de nitrognio pode resultar em acamamento de plantas de trigo.

No Brasil, o produto foi avaliado por Zagonel et al. Foram verificados reduo do comprimento dos entrens e aumento na produtividade, porm, no foi observado acamamento. Com relao qualidade industrial do trigo, Penckowski, et al. Na cultivar Avante, a aplicao deste produto nas fases de 1o e 2o n visvel ou 2o e 3o n visvel promove aumento do rendimento de gros.

Alm desses resultados obtidos no Brasil, aumentos na produo do trigo em funo da aplicao de trinexapac-ethyl tm sido verificados em outros pases tais como na Argentina por Lozano et al.

Zoneamento agroclimtico e poca de semeadura As recomendaes de poca de semeadura baseiam-se na anlise das produes obtidas em experimentos conduzidos em cada regio tritcola, nos quais diferentes variedades so semeadas em datas espaadas. So ainda considerados outros fatores como: o risco de geadas prximas florao, a probabilidade de dispor de suficiente umidade no solo em zonas de baixa precipitao ou de excessivo encharcamento desse em zonas de inverno chuvoso OSRIO, Tanto neste Estado como na regio Sul do Brasil, o trigo se beneficia quando se antecipa a semeadura, visto ficar maior nmero de horas sob baixas temperaturas.

O inconveniente de antecipar a semeadura do trigo nessa regio advm do aumento do risco de dano por geada, em fases prximas ao florescimento OSRIO, Dessa forma, resultados de pesquisa no Rio Grande do Sul e no Paran sinalizam o potencial de maior rendimento de gros de trigo ao se antecipar a semeadura, com variao de datas conforme a regio considerada.

Em Santa Catarina, a semeadura do trigo realizada nos meses de maio a agosto. Tendo como base, principalmente, a frequncia de geadas, com o apoio de dados referentes latitude, altitude, deficincia e ao excedente hdrico, tipos de solo e resultados de experimentos CUNHA et al.

A poca de efetuar a semeadura do trigo constitui uma deciso crtica de manejo, portanto, anualmente, tomada pelos agricultores do Norte do Paran. Porm, segundo Cunha et al. So considerados regime de geadas, latitude, altitude e solo. Tambm foram estudados a precipitao pluvial, o rendimento de gros e o ciclo de trigo, conforme as pocas de semeadura.

Gonalves et al. No Programa de Zoneamento Agrcola do MAPA, foi includo o cultivo de trigo sob condio de sequeiro em Gois, Minas gerais e no Distrito Federal como uma opo para o perodo de safrinha, que permite aproveitar o fim do perodo chuvoso em cada regio. Nessa poca, apesar da temperatura e umidade do ar elevadas, possvel cultivar trigo sem irrigao, porm, a colheita fica prevista para o incio da estao seca, logo, restrita ao ms de fevereiro.

E reas com possibilidade de cultivo de trigo sob irrigao, com perodo favorvel de semeadura compreendido entre 11 de abril e 31 de maio CUNHA et al. Elias et al. Portanto, constata-se que o trigo tem aptido para regies de clima com temperaturas amenas e muito resistente s geadas na fase vegetativa, alm de responder vernalizao.

Pesquisas mostram que a utilizao de reguladores vegetais possibilita o aumento na produtividade. J com relao emisso de perfilhos infrteis, so necessrios estudos que revelem os mecanismos que controlam essa caracterstica, e com isso melhorar geneticamente cultivares para melhorar o rendimento de gros. Resposta vernalizao de cultivares brasileiras de trigo. Bragantia, Campinas, v.

Sistema vascular e controle do desenvolvimento de perfilhos em cereais de estao fria. Revista Brasileira de Botnica, So Paulo, v. AUDE, M. Taxa de acmulo de matria seca e durao do perodo de enchimento de gro do trigo.

Pesquisa Agropecuria Brasileira, Braslia, v. Documentos, Associations between geographical origin and morphological characters in bread wheat Triticum aestivum L. Plant Genetic Resources, Cambridge, v. Efeito do tamanho das sementes de trigo no desenvolvimento inicia das plantas e no rendimento de gros. Pesquisa Agropecuria Brasileira, v. The influence of daylength on final leaf number in spring wheat.

Cultivo de trigo duro no Brasil. O Agronmico, v. Interao entre gentipos e ambientes e implicaes em ganho com seleo em trigo. Pesquisa Agropecuria Brasileira. Braslia, v. Diferentes pocas de colheita, secagem e armazenamento na qualidade de gros de trigo comum e duro. Ecofisiologia de cultivos anuais. So Paulo: Nobel, Manual de fisiologia vegetal: fisiologia de cultivos.

So Paulo: Ed. Ceres, CATO, S. Ao de bioestimulante nas culturas do amendoinzeiro, sorgo e trigo e interaes hormonais entre auxinas, citocininas e giberelinas. Tese Doutorado em Fitotecnia ps-graduao em Agronomia. Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz. CONAB, companhia nacional de abastecimento. Acesso em Annals of Botany, London, v. Revista Brasileira de Agrometeorologia, Santa Maria, v. Zoneamento agrcola e [poca de semeadura para trigo no Brasil.

Germinao pr-colheita em trigo. Passo Fundo, Regies de adaptao para trigo no Brasil. Passo Fundo: Embrapa Trigo, 10 p.

Embrapa Trigo Circular Tcnica Online, Avaliao de gentipos de trigo em semeadura antecipada no Rio Grande do Sul, em Santa Catarina e no centro-sul do Paran, em Passo Fundo: Embrapa Trigo, Embrapa Trigo Documentos Online; Acesso em: 14 jan. Umidade de colheita, mtodos de secagem e tempo de armazenamento na qualidade tecnolgica de gros de trigo cv. Embrapa Cincia Rural, Santa Maria, v.

Origem do trigo. Acesso em: 03 set. Spray application parameters that influence the growth inhibiting effects of trinexapac-ethyl. Crop Science, Madison, v. FAO, food and agriculture organization of the united nations.

Precipitao mnima para semeadura do trigo no norte do Paran. Pr-esfriamento para superao da dormncia de sementes de trigo colhidas na poca da maturidade.

Variao nos nveis de prolina, diamina e poliaminas em cultivares de trigo submetidas a dficits hdricos. Absoro de nutrientes pelo trigo. Regionalizao para pocas de semeadura de trigo no estado do Paran. Documentos, 4. Recomendaes tcnicas para a cultura do trigo no Paran Londrina, Instituto Agronmico do Paran, Circular, Dinmica da produo de trigo no Brasil no perodo de a Passo Fundo: Embrapa Trigo, 40 p.

Boletim de Pesquisa e Desenvolvimento Online, O solo na cultura do trigo no Brasil. Estudos Tcnicos, Consumo dgua da cultura do trigo Tricutum Aestivum, L. Uruguaiana, v. Efecto de trinexapac ethyl sobre la morfologa del tallo en dos cultivares de trigo.

Acesso em: 22 ago. Influence of trinexapac-ethyl on growth and development of winter wheat. Journal of Plant Protection Research, Poznan, v.

LENSWORK MAGAZINE PDF

ECOFISIOLOGIA TRITÍCOLA

Ecofisiologia del cultivo de maiz. Dekalbpress, Balcarce. A cultura da soja nos cerrados. Physiology and determination of crop yield. Wisconsin: American Society of Agronomy,

CASIO EXILIM EX-V8 MANUAL PDF

ECOFISIOLOGÍA DE LOS CULTIVOS

.

Related Articles